A sétima prova ocorreu sem grandes problemas. Apenas três equipes não completaram a prova: VDC2, Babitonga e Copacabana. Nesta prova, o barco Ubá Suy Aram da UNIVALI completou, enfim, uma prova do DSB. Tivemos o Arpoador em 3º colocado, Mangue em 2º e Vento Sul em 1º, novamente mostrando a que veio.

Já na oitava prova, uma situação delicada acabou ocorrendo. De um total de dez embarcações, oito saíram para o percurso antes do procedimento de largada ser efetivamente realizado, o que as fez levar penalidade de DNS, sendo então considerado que estas equipes não largaram. Assim, o comitê de regata considerou que apenas os dois outros barcos realmente largaram – Solaris e Peixe Galo, cujos pilotos merecem os créditos pela largada no momento certo. O Peixe Galo teve problemas durante o percurso e acabou levando DNF. Portanto, Solaris foi o único barco a largar e completar esta prova. Houve grande discussão logo após o procedimento de largada se deveria haver uma nova chamada para a largada ou não.

A equipe da UNIVALI não deu sorte; além de não competir nesta segunda prova do dia, ainda teve o motor queimado, comprometendo sua participação no evento. O barco Ubá Suy Aram, não havendo outra alternativa, se retira da competição.

O procedimento de largada e outras questões geraram uma série de protestos após as provas. Porém, ao longo da tarde e início da noite, alguns se resolveram informalmente entre os competidores ou entre competidores e organização. Houve um exemplo de interessante altruísmo do representante da equipe Mangue, Isidoro Raposo, que retirou um protesto contra a equipe Solaris imediatamente após tomar conhecimento de que a deferência do protesto resultaria apenas em prejuízo para a equipe protestada, sem benefícios para o Mangue. Outros protestos deverão ser julgados amanhã à tarde. Para Jéssica Soares, integrante da equipe de organização do Desafio Solar Brasil, o protesto é uma experiência positiva para o campeonato e para os competidores, no âmbito da discussão e assimilação das aplicações práticas das regras estabelecidas.

Terminamos o dia, na classificação geral, com Copacabana na 3ª colocação, Vento Sul na 2ª e Arpoador mantendo a primeira colocação.

Em meio a estes acontecimentos um tanto quanto conturbados, recebemos a presença do decano do Centro de Tecnologia da UFRJ, Walter Suemitsu, que chegou ontem à noite e desde a manhã de hoje vem acompanhando as atividades do Desafio Solar Brasil. O decano permanecerá em Florianópolis até o fim do campeonato.

À noite, no espaço do LIC, houve ainda um churrasco de confraternização entre equipes e organização, realizado por integrantes da futura equipe UDESC, que partícipará da próxima etapa do Desafio Solar Brasil, ainda em 2011.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s