Depois de alguns dias de sol forte, hoje o dia nasceu encoberto. Ainda assim, a falta de sol não é sequer uma novidade para os competidores do Desafio Solar Brasil que já estão presentes há algumas edições do evento. Foi portanto nessas condições que os barcos entraram na água pela primeira vez em Santa Catarina para competir. Após uma breve reinspeção, em que todos foram aprovados, os barcos foram preenchendo gradativamente as águas da lagoa. Contudo, dos 9 barcos presentes, apenas 5 foram aprovados: HL2, Solaris, Vento Sul, Peixe Galo e Copacabana.

Mais tarde, ocorreu uma prova curta, de velocidade, o Sprint, em que os barcos tiveram de percorrer 270 metros em linha reta. Competitivos, os barcos obtiveram, em sua maioria, tempos muito próximos. Os três primeiros colocados foram: Vento Sul, em primeiro, com 02’01.9″ (que, para computo geral da competição, valerá 43’09”); Arpoador em segundo, com 02’10.9″ (que valerá 46’20”) e Mangue, com 02’14.4″ (47’34”).

Além da competição em si, é interessante ressaltar a relevância do Desafio enquanto evento, em âmbito, sobretudo, acadêmico. Foi este o fator que trouxe a Florianópolis a engenheira elétrica, doutoranda em engenharia de automação e sistemas pela UFSC e docente pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) Elisabete Nakoneczny Moraes. O trabalho de Elisabete é relativo à eficiência energética do sistema computacional e eletromecânico e seu objetivo principal é estimar o consumo total da energia elétrica que o hardware,  o software e periféricos consomem para uso eficiente da bateria que alimenta o sistema, no caso, o barco solar. Ainda que sua pesquisa não mantenha relação direta com o uso de energia solar, segundo Elisabete, a proposta do DSB mantém estreito vínculo ocm seu objetivo de pesquisa, além de lhe permitir vivenciar na prática dificuldades que os estudos teóricos nem sempre possibilitam. Elisabete, que é de Curitiba, Paraná, veio de carro para Florianópolis apenas para facilitar seu deslocamento pela cidade durante a semana de realização do Desafio Solar Brasil.

Aconteceria ainda hoje a prova de Slalon, mas devido ao mau tempo, o comitê técnico decidiu adiar para amanhã, pela manhã.

Uma boa novidade é a chegada da equipe da UNIVALI, que, até então, não conseguiria participar da competição. A equipe realizará inspeção amanhã às 8 horas.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s